domingo, 23 de outubro de 2011

Bactéria da 4ª Dimensão.câncer

Sobre o assunto: Tratado de Medicina Oculta – Samael Aun Weor – página 136

O que é o câncer? Respondemos esta pergunta enfatizando a idéia de que é um crescimento desordenado das células do próprio organismo enfermo.
O câncer é contagioso? Experimentos científicos, feitos no Instituto de Medicina Experimental da Argentina, mostraram-se conclusivos: não é contagioso. Os cientistas colocaram em uma mesma jaula ratos sadios e ratos cancerosos; nenhum contágio foi constatado. Em todos os experimentos realizados e devidamente controlados também foram postos ratos de ambos os sexos, não se verificando nenhum contágio. No ambiente científico foi dito que ratos alimentados com tumor canceroso não ficaram contagiados. Afirmou-se ainda que apesar de ter sido injetado  sangue de animal canceroso em ratos sadios estes continuaram imunes, sem haver contágio.
Uma batida pode causar câncer?  Esta pergunta tem uma importância extraordinária, seja do ponto de vista social, seja do ponto de vista legal, devido às implicações com indenizações trabalhistas em função de acidentes profissionais. O que está constatado é que pequenos golpes, repetidos com freqüência no mesmo local, podem causar câncer, mas um único golpe, mesmo que forte, decididamente não causa câncer. Essa inteligente conclusão científica levou em consideração os ferimentos balísticos produzidos durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).
O câncer é provocado por algum germe?  A ciência oficial afirma que não, enfatizando o conceito de que essa terrível enfermidade não é causada por qualquer micróbio ou germe.
O gnosticismo científico revolucionário, com todo o respeito, toma a liberdade de discordar. Nós gnósticos afirmamos que o cancro, o micróbio ou germe do câncer, existe.
O câncer é transmissível? É normal que a ciência oficial, depois de muitos experimentos, responda com um rotundo não. No entanto, há exceções; por exemplo: num rato mantido com uma dieta pobre em cobre e baixa em catálise foi inoculado o câncer. O resultado foi positivo, pois ficou contagiado, e sempre que o experimento foi repetido, obteve-se o mesmo resultado. Em outro experimento, oposto, inoculou-se câncer em um rato previamente preparado com uma dieta rica em cobre e catálise. O resultado foi negativo, já que não houve contágio.
Entende-se que o germe do câncer, o terrível cancro, desenvolve-se em organismos pobres em cobre e catálise. Inquestionavelmente, não se pode detectar o cancro nem por meio dos microscópios eletrônicos mais poderosos, mas se essa temível enfermidade pode ser transmitida aos organismos pobres em cobre e catálise, é óbvio que seu micróbio existe.
O germe do câncer desenvolve-se e progride na quarta dimensão; só se faz conhecido em nosso mundo devido aos seus efeitos destrutivos. No futuro próximo, será inventado um novo tipo de microscópio mais poderoso e inovador; então o cancro será visível aos cientistas da atualidade.
Esse germe fatal chega ao planeta Terra submerso nas correntes eletromagnéticas da constelação de câncer.  Sob todos os aspectos torna-se claro que o câncer é o karma da fornicação.  Os antigos sábios conheciam bem esse tipo especial de Nêmesis  (karma).
A experiência prática de vida confirma que no geral nenhuma doença é curada sem autorização da Lei Divina ou sem haver méritos espirituais; as enfermidades estão atreladas ao Karma de cada um.
Diz H.P. Blavatsky: “O Karma é a Lei infalível que ajusta o efeito, à causa nos planos físico, mental e espiritual do Ser como nenhuma outra; até nas mínimas coisas, desde a perturbação cósmica até o movimento de nossas mãos, e da mesma forma como o semelhante produz o semelhante, assim também o Karma é a Lei invisível e desconhecida, que ajusta sábia, inteligente e equitativamente cada efeito à sua causa, fazendo-a remontar até seu causador”.
Pega-se Karma no mundo físico e também se paga Karma nos mundos internos. Porém o Karma no mundo físico, por grave que seja, é muito mais suave que o correspondente Karma astral.
As piores enfermidades são geradas pelo Karma. A varíola é o resultado do ódio; a difteria é o fruto das fornicações de vidas passadas; o câncer também é resultado da fornicação; a tuberculose ou peste branca é o resultado do ateísmo e do materialismo de vidas passadas; a crueldade gera a cegueira de nascimento; o raquitismo é filho do materialismo; a malária provém do egoísmo, etc. Centenas de outras enfermidades têm origem nas más ações de nossas vidas anteriores.

"O homem morre pelos seus próprios pecados..."

sábado, 22 de outubro de 2011

As reações fortes




As reações após três dias decorridos da quimioterapia eram  muito fortes. Estávamos todos ao lado dela para dar  o apoio  necessário.
E assim,  sucedeu durante a segunda, terceira e quarta quimioterapia com tratamentos dolorosos, idas e vindas ao CSO.
Mas, sentia que a situação não estava nada bem, a cada dia  ficava mais debilitada. Até que um fato muito curioso aconteceu comigo. Resolvi de alguma forma estudar aquele tipo de doença incurável, dediquei-me completamente os momentos de disponibilidade para meditar e procurar entender, descobrir origens, como deveríamos atuar diante daquela situação.
Reuni diante de mim tudo o que tinha estudado durante tanto tempo, na Ordem Rosacruz, Evangelismo, Messiânico, Gnose, Doutrina Espírita, apesar de não aceitá-la completamente,  não deixa de ser formas experimentais, enfim, teria de lutar de alguma maneira para não aceitar derrotas, poderia cair, mas cairíamos lutando.
Todas as práticas em orações era na Igreja Mundial do Poder de Deus.
Foi então, que chegou às minhas mãos um Livro intitulado Tratado de Medicina Oculta, coletâneas Gnósticas e passei a estudá-lo, até o momento em que descobri certas afirmações que apesar de sentir por intuição, jamais aceitaria se não fossem aquelas páginas dedicadas ao problema câncer.
É interessante que reproduza na íntegra algumas partes sobre aqueles ensinamentos, tendo em vista, tratar-se de obra que reúne o essencial conhecimento médico indígena dos Arhuacos de Serra Nevada de Santa Marta, Colômbia, os quais são usados procedimentos mágicos e naturais, que exige do leitor mente aberta e receptiva na hora do estudo, da pesquisa e da aplicação da sabedoria revelada. Por outro lado, não há dúvida alguma que nem tudo pode ser realizado pelos procedimentos naturais e tradições ancestrais. Por exemplo, certas curas somente são alcançadas por procedimentos cirúrgicos, e nisso, sem dúvida, não há o que contrapor. Repetindo o autor, “devemos saber usar o que de bom oferece a ciência”.
continua...

I Reis 19:11,12

SÊ ACESSÍVEL

Procura ouvir com prontidão os ensinamentos do Santo Espírito. Eu não costumo falar como os sons da trombeta. Meu apelo é como um toque suave no ombro. Não aguardes uma experiência retumbante. Segue a pequenina Voz silenciosa. Sê obediente aos ternos chamamentos do Espírito. Opero muitas vezes desta maneira, porque desejo desenvolver a tua espiritualidade.
Reconheço as tuas fraquezas, mas é desta maneira que Me proponho fazer-te forte. Sei das tuas indecisões, mas é assim que  fortifico a tua fé. Observo como anseias a sabedoria do alto e te ensino a obtê-la através de cada ação diária, por mais singela e humilde que seja.



quinta-feira, 20 de outubro de 2011

1º Tratamento Quimioterápico



Doutor Carlos Afonso ao efetuar a liberação providenciou todas as documentações necessárias, marcando, inclusive, dia, horário, Médico assistente para que fosse iniciado com urgência o tratamento quimioterápico. Agradecemos a Deus e ao Doutor Carlos Afonso e nos dirigimos para a Liga.  Surpreendemo-nos com o atendimento, quanta dedicação daqueles profissionais.
Marcado primeiro tratamento quimioterápico, começava os desafios de cada dia. Fomos recebidos por uma Enfermeira Chefe, que conversou conosco como seria o tratamento, quais as implicações, enfim, tudo que o paciente e assistentes precisam saber. Informou-nos, inclusive, sobre os riscos que corria no primeiro tratamento, sobre a rejeição, etc.
Momentos de expectativas, todos os preparativos, iniciado a aplicação em pouco tempo, assustei-me em decorrência da reação, foi como se Gilza tivesse levado um soco no peito, parou de respirar e sentiu-se muito mal, ficando vermelha de corpo inteiro e logo em seguida foi retirado as pressas  o soro.
A enfermeira levou-me a uma sala reservada e passou a informar-me do ocorrido e me disse, que caso ela não resistisse teria que parar  o tratamento com urgência, retornaria para o médico e...
Bom,  realmente não haveria nenhum tratamento paliativo  que  pudessem fazer.
Mas, aguardaria em pelo menos uma hora para que ela se restabelecesse e tentaria novamente, mas que estivéssemos cientes de que nada poderia ser feito se houvesse novamente a rejeição.
Voltamos à prática do Johrei, orações, toalhinha  SÊ TU UMA BENÇÃO sobre a cabeça e nosso clamor a Deus em Nome do Senhor Jesus para que  tudo desse certo.
Novamente colocado o soro, expectativa, apreensão, resguardo na fé. E em pouco tempo, Gilza estava naturalmente recebendo o tratamento quimioterápico, cantando juntamente com outra paciente uma música que até hoje não esqueço.

“Olha pra mim, bem nos meus olhos. Olha aqui dentro do meu coração.
Fica mais perto de mim. Meu Salvador,  estou aqui para sentir o seu amor.”

Por incrível que pareça uma das enfermeiras pediu as duas para que cantassem  baixinho.

I Cor. 15:57,58

O CAMINHO ESTÁ À TUA FRENTE:

Há de chegar o tempo quando dirás: “de certo o Senhor estava neste lugar e eu não sabia!” Digo-te que o Meu Espírito paira sobre as águas, mesmo sobre aquelas águas mais agitada, e tirará da condição caótica da tua vida, um troféu e uma demonstração da Minha Graça.
Se a Bíblia diz: “Onde o pecado aumentou, aumentou muito mais a graça”, não fiques desanimado nem te desvies. Põe o teu coração em maior diligência para seguir o Espírito Santo. Alguns podem encontrar-me e Me perder outra vez. Não te desencorajes por este motivo. Qual o piloto que haveria de por sua embarcação nas pegadas do outro navio? Tens um porto a chegar e uma trajetória a seguir e o caminho está postado à tua frente.
Nem tempestade, nem tufão, poderão deter-te os passos. Tais elementos não têm substância na mente do Santo Espírito de Deus. O adversário de tua alma poderá insinuar que as desfará como nevoeiro, se houver de tua parte a determinação de andares pela fé. Então olharás para trás, mas não verás o rastro delas e acharás incrível teres vacilado!


quarta-feira, 19 de outubro de 2011


Ao sair do hospital levei-a na Igreja Mundial,   mas parece-me que não se sentia bem em estar ali, em virtude de suas práticas religiosas Católicas, nascida num berço Católico, convivido com Padres, Freiras, enfim, teria se dedicado a vida inteira a sua fé Católica. Seria possível a aceitação de uma nova  prática Religiosa?
Mas, precisava fazer isso, em virtude da assistência  recebida em vários momentos pelo Deus Vivo e Verdadeiro que estar presente naquele Ministério, através da Unção que Deus depositou no Apóstolo Valdemiro Santiago e sua esposa a Bispa Francilèia e que os Milagres que ali acontecem são incontestáveis.
Um fato por demais curioso foi que no dia em que Gilza estava recebendo a liberação (auta) para sair do hospital me pediu para que gratificasse a Juce (filha de uma paciente),  pela assistência dada a ela durante o internamento e até mesmo pelas vezes que pedia para ela, Juce, ligar para mim e dizer as notícias que estava bem. Soube mais tarde que era apenas para me tranqüilizar.  Ao tentar gratificá-la, ela negou-se a receber qualquer contribuição como gratificação e fiquei até constrangido com o mico que paguei, porque naquele ambiente a solidariedade é tão grande que quaisquer valores financeiros nada significa  diante da necessidade  humana e da caridade.
Apenas, para converter o mico em algo mais, perguntei-lhe se poderia fazer com aquela gratificação o que eu quisesse. Juce, respondeu que sim.
Ao entrar na igreja Mundial do Poder de Deus junto com Gilza, assistimos a concentração de fé e milagres e  no momento das ofertas peguei um envelope e depositei como oferta ao Senhor, o dinheiro que teria ofertado a Juce e que a mesma não aceitou. Em orações disse que era uma oferta de Juce, acompanhante de sua mãe que estava no leito ao lado da cama de Gilza. Fato que com quatro meses depois, encontramos a mãe de juce, recebendo tratamento quimioterápico, muito bem, e com cirurgia marcada para retirada da bolsa, objeto da operação de colostomia. O que nos deixou muito felizes em vê-la. A mãe de Juce era tão engraçada que ao  ver Gilza, disse: Gilzaaaaaaaaa. Não  acredito, como você estar feia, mas tenha certeza que você vai ficar bonita de novo. E riram bastante...

Mat. 108

ESTOU EM TODA A PARTE:

“Nunca te firmes sobre as rochas da indecisão. O apelo do Meu coração dirigido a ti, é para o teu completo abandono às torrentes da MINHA VONTADE. EU ESTOU EM TODA A PARTE. Não penses que alguém possa expulsar-me. Aonde que  vais, hás de sentir O VENTO ASSOPRANDO ONDE ELE QUER. Meu Espírito trará novo impulso a qualquer situação. Soprando sobre o morto, dar-lhe-á vida. Tocará, com um dos Seus raios e dará nova coragem àquela alma que se tenha desesperado, de modo que, embora perdida toda a esperança, ela se erguerá do seu lugar de desânimo aos Meus eternos braços outra vez, sob A ATMOSFERA DA FÉ”.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

2ª Cirurgia. O internamento



De fato, dois dias depois ela foi  cirurgiada.  Ao visitá-la, doutor Carlos Afonso me informou que não tinha havido possibilidade nenhuma de efetuar a operação prevista, porque estava muito inchada e não havia condições nenhuma. Informou-me apenas: abrimos e fechamos sem diligências. Perguntei-lhe: E agora Doutor? Respondeu-me: Teremos que correr com a quimioterapia com urgência.

Enquanto isso, Gilza, na enfermaria lutava.
Do seu lado direito uma senhora com problemas idênticos ao dela.  E do lado esquerdo  outra senhora que também  tinha problemas mais ou menos  semelhantes e já havia dois anos de lutas pela vida.   A primeira não resistiu e faleceu. A outra lutava, mas não tinha  esperanças. Acompanhada pela sua filha, chamada Juce, que efetivei um contato para que ela me informasse sobre o estado de saúde de Gilza por celular que se colocou a disposição, tendo em vista, que apenas poderia estar presente no horário de visitas.
Naquele dia, sábado, dirigi-me a Igreja Mundial do Poder de Deus no bairro Lagoa Seca, Sede da Igreja em Natal. No  Domingo de manhã ao voltar novamente à Igreja, lembro-me da forma como fui tocado pelo Senhor Jesus. Incontrolávelmente chorava, clamando pela saúde dela. O Pastor dizia no momento das orações palavras que absorvia no meu coração.  “Meu irmão sua esposa estar curada”. Alguém nesta concentração de fé aqui presente, se estender a mão sobre um morto ele se levantará. Segure estas palavras meu irmão em Nome do Senhor Jesus.
Fato este que naquele momento senti-me  presente ao lado do leito dela, prática do desdobramento e estendia as mãos sobre ela e determinava em Nome do Senhor Jesus a cura e o livramento, a destruição daquela bactéria invisível do inferno, chamada de câncer.
Ao chegar ao hospital a tarde do mesmo dia domingo, já  tinham tirado a sonda do nariz, estava vestida com uma roupa vermelha e se sentia muito bem. Incrível tal resposta da presença de Deus.

II Tim 2:12

TRIUNFOS NASCEM DE FRACASSOS

“Sê paciente se a Minha Mão pesar sobre ti. Só tem sede de bênçãos quando se sofre.Triunfos são resultados de lutas. Quando houver derrotas na tua vida, entrega-as a Mim, completamente. Continuarás o teu caminho pela fé. Nunca desesperes.”



segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Exames -preparação para 2ª operação.



  
Quando da realização do exame de colonoscopia, precisava tomar um líquido, porém aquele mesmo líquido foi o responsável, pela não realização integral do exame, em virtude de obstrução encontrada e que ocasionou um desmaio repentino. Transferência com urgência  da paciente para o CSO -Hospital Luis Antônio e segundo as informações da minha irmã Fátima Soares e meu cunhado Antonio Marcos, que a acompanhava  juntamente com uma enfermeira amiga deles e colega de trabalho, que a transferiram no seu carro particular, porque não havia tempo para esperar nem sequer pela  ambulância -SAMU, em virtude da gravidade do caso. Segundo eles, houve uma parada cardíaca, porque o soro que um deles segurava, enquanto o  outro dirigia, estava retornando para dentro do depósito via mangueira, e ela continuava desfalecida durante todo o trânsito para o hospital.
Ao chegar ao hospital Luis Antônio,  atendida com urgência no CSO, pelo Doutor Carlos Afonso.
Recebi a notícia e viajei no dia seguinte cedinho,  ao chegar ao hospital encontrei-a já medicada, com a sonda no nariz até o estomago para retirar o líquido. Assustei-me, ainda mais, porque a barriga estava muito avolumada pela inchação.
Entrei sem falar com ninguém, sem nem saber se realmente poderia estar ali, somente queira estar ao lado dela. O Doutor Carlos, vendo-me disse que queria falar urgente comigo e naquele momento apenas acenei com um gesto que sim, e passei a impor as mãos em orações ao tempo que coloquei sobre ela o lencinho SÊR TU UMA BENÇÃO DA IGREJA MUNDIAL DO PODER DE DEUS do qual nunca me separei desde os primeiros instantes. Doutor Carlos insistiu que queria me falar, mas ao abrir a cortina vendo-me em orações, disse-me que poderia ficar o tempo que fosse necessário da minha parte  e que continuasse em orações. Em pouco tempo ela me pediu para levá-la ao banheiro e chegando lá conseguiu evacuar muito do líquido preso em seus intestinos. Disse-me que se sentia mais aliviada.
Em seguida dirigi-me para falar com Doutor Carlos Afonso, um dos homens que descobri  ter  um respeito angelical, médico usado por Deus do qual não tenho palavras para qualificá-lo, porém não precisa porque a missão dele é de tamanha grandeza que todos os dias em minhas orações peço a Deus por ele e pela esposa dele Doutora Ariane que por coincidência ou por decreto Divino era a mesma Médica Ginecologista que efetuou a primeira consulta a que me refiro anteriormente.
Doutor Carlos Afonso, me perguntou se sabia da gravidade do problema e respondi que sabia.   Mas, para o meu espanto a gravidade ainda era maior,  porque me disse que teria que operá-la com urgência,  com o objetivo de implantar o aparelho de colostomia. Até então, Gilza ainda não tinha tomado conhecimento sobre o fato, apenas suspeitava.

Is. 45:2,5 

POR QUE TE DESANIMAS?

“Filho Meu, preciso de ti. Não te tenho convocado e abençoado? Não tenho colocado a Minha Mão sobre ti e te preparado conforme os Meus propósitos? Por que então ficas a indagar e por que duvidas?”
“Os exemplos do passado consolidam os teus pensamentos. No entanto, eles não podem dar-te forças para ao dia de amanhã, exceto se deliberadamente,  tu lhe dareis tais forças. A cada tarefa que Eu te confio, adiciono a habilitação. Se eu requerer algo além do que te pedi fica certo de que foi Minha intenção, cumular-te de maior energia e de mais claro entendimento, pois sei, muito bem, do que vais necessitar”.
“Tenho provado muitas vezes, a tua fé, e sei que ela é forte. Por que te desanimas? Ergue-te e caminha sob a inspiração do Meu Nome, reconhecendo que sou Eu que te impulsiono para frente. Não é homem nenhum. É o Meu plano para a tua vida. E então, sabendo isto, o teu caminho será fácil.”

domingo, 16 de outubro de 2011

Primeira consulta em Natal



Fomos a Natal, apenas marcamos a primeira consulta para o dia 04 de novembro de 2010. Enquanto esperava em casa o dia em que deveria fazer a primeira consulta com a Ginecologista,  observava que a cada momento o quadro se agravava ainda mais, quantas dores sentia, não conseguia dormir. Como aquilo doía dentro de mim. Minhas filhas choravam baixinho em suas camas, ao longe escutava seus soluços. 
E as visitas a cada momento sentiam suas presenças como formas já desesperadora, entendemos naturalmente em virtude do quadro gravíssimo sem nenhuma perspectiva de esperança por parte da medicina.
O que acreditar. Somente no milagre...
A consulta marcada para o dia 04 de novembro de 2010 tinha chegado o momento. Dra. Ariane o nome da Ginecologista.  Buscava algo que me desse pelo menos um sinal animador, como quem dentro de um rio muito profundo  se apegasse  em alguma coisa para não se afogar.
Do lado de fora do consultório enquanto esperava, limitava-se a ministrar o Johrei para que a médica recebesse a iluminação para atuar na consulta e o diagnóstico fosse  com precisão.  Porém,  sentia ou ouvia não sei, tudo o que estava sendo dito para ela. Naquele momento a porta se abre, Gilza aparece e diz chorando muito: Chaguinha entre,  venha até aqui.   Entrei a Doutora Ariane me pediu para sentar, pegou os exames, falou sobre o caso e disse apenas,   lamento. Precisamos fazer nova cirurgia para retirar colo do útero, e efetuar a colostomia ( transposição através de uma bolsa externa). Enfim, é tudo que a medicina pode fazer. Perguntei-lhe: Quais as chances e me respondeu que naquele tipo de situações as chances eram mínimas.
Foi ai então que Gilza desesperou-se ainda mais e tive que falar sério e bem dentro dos olhos dela.
Você não me disse que ia lutar. Então lutemos.
Doutora,  a Senhora acredita em Milagres. Ela nos disse que acreditava. De pronto, convidei-a: Vamos acreditar neste Milagre. Ela disse: vamos.
Foi ai então que solicitaram todos os exames necessários, CA 125, colonoscopia, entre outros.
Voltei para Tenente Laurentino para providenciar outros exames, inclusive o de histoquímico  pelo material colhido  da primeira cirurgia, objeto da biopsia que acusou o problema, cujo material  estava em Caicó.
Quando estava em diligência para resolver sobre o exame histoquímico, um médico do laboratório em Natal liga para o meu celular para dar um resultado do exame de sangue CA 125, antes de dizer para a paciente sobre a gravidade do problema. E me perguntou se era o esposo dela, se sabia da gravidade do problema, enfim, acredito que muito assustado diante do fato.
Respondi que sabia. Então ele me falou que já estava muito avançado e que na corrente sanguínea a incidência era muito alta já e sem controle, ou seja, metastase.
Apesar de saber da gravidade, sempre é mais um momento de desespero, ainda que passageiro. Pouco tempo depois, Gilza me ligou e já estava mais controlado emocionalmente e ela estava num desespero sem controle. E novamente tive que forçar minhas palavras fortes de desafio na fé. Você não decidiu lutar. Então lutemos.
Mas só Deus sabe como tive que dizer estas palavras de ordem. Acho que sentia a cada momento a chama acesa, faltar  o azeite  para manter o fogo aceso. Mas, nas  noites  em vigílias   de orações, sozinho no meu quarto sentado ou deitado lutava para manter-me fervoroso.


"O Choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã."

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O resultado do exame








Confesso que se fosse apenas por mim, nunca mais me dirigia à clínica onde tinha que receber o resultado do exame. Mas, a responsabilidade fala mais alta, e liguei para a clínica e me disseram que estava pronto e que deveria ir buscar. Minhas pernas ficaram bambas.  Era chegada à hora, passava pela minha memória tantas coisas sobre nós, como nos amávamos,  como éramos amigos sinceros, cuidávamos um do outro com uma proteção exemplar.  Às vezes, divergíamos sobre religião e educação, porque nunca fui religioso, sou ecumênico e minha religião é apenas Jesus Cristo, apesar de venerar, Nossa Senhora, que a chamo carinhosamente de minha mãe, não aceito idolatria, e tantas outras baboseiras que se fala por ai. E na Educação, porque o professor não se respeita quando deixa de exigir  a  sua autoridade, assim , como um médico prescreve tratamentos a um paciente, o professor poderia ter a autoridade de  prescrever tratamentos pedagógicos aos pais de alunos para aplicarem e disciplinarem seus filhos.
Recebi o exame fechado em envelope plástico, não quis abri-lo. Na verdade tive medo de encarar  de frente o problema sozinho, precisava da ajuda de um profissional. Dirigi-me até o Posto de Saúde, onde o Médico atendia. Fui  acompanhado de minha filha Maria Clara. Ao chegar no Posto, todos sabiam da nossa situação e me permitiram que entrasse rapidamente no consultório. Entreguei o exame a Dr. José Fernandes e me perguntou por que não tinha tido a curiosidade de saber o resultado.  Respondi que precisava das orientações dele.
Ao abri-lo, leu os resultados e disse: Confirmado os resultados positivos, câncer de ovário, muito avançado e enfim, muito grave mesmo.
O que se pode fazer, ou se há algo que se possa fazer. Indaguei-lhe.
O tratamento terá que ser feito pela Liga em Natal, é preciso correr com o tratamento, tem que ser urgente. Encaminharei a solicitação de tratamento e deves procurar a Secretaria de Saúde para resolver o restante das solicitações de tratamento.
Era chegada à hora de revelar a Gilza a problemática de sua saúde. Como poderia fazer tal citação, uma vez que, já tinha visto no primeiro momento o desespero da Minha filha Maria Clara que fomos os primeiros a sabermos, ou seja, me senti obrigado a revelar para ela naquele momento, até porque, não consegui dominar as minhas emoções através das lágrimas.
Pedi para Maria Clara dormir cedo, não falar nada sobre o assunto e nem deixar transparecer as emoções sobre o assunto, motivo pelo qual acho que ela dominou muito bem, teria que conversar com Gilza a sós enquanto todos dormiam.
Deitamo-nos, orei no silêncio do meu coração, pedi forças ao meu Deus para ter a coragem suficiente de falar, porque na realidade as nossas fraquezas requerem mesmo é que escondamos o problema e se possível fugir dele. Pouco tempo, levantei-me, verifiquei minhas  filhas dormindo e escutei um soluço baixinho era Maria Clara, mas sabia que podia contar com ela naquele momento. Dirigi-me ao quarto novamente e Gilza  me perguntou se estava com insônia e de pronto, disse: precisamos conversar agora.
Ela sentou-se como se já esperasse, sentamos-nos  de frente um para o outro e disse: Gilza é chegada a hora de colocarmos nossa fé em ação, precisamos de fortaleza o bastante para vencermos esta situação. Ela ouvia em silêncio e logo completou.  Eu já sabia, embora que não quisesse aceitar. Sei que vou lutar muito, mas lutarei até o limite das minhas forças. Creio em Deus Pai, Filho e o Divino Espírito Santo. Vamos lutar então, indaguei; Ai não aguentou desabou em pranto como se tivesse caído na real sobre a gravidade do problema. E as  nossas  filhas.... E minha família..... e os meus alunos.... e minha escola....
Tudo isso foi como uma responsabilidade despertada como se algo faltasse a ser concluído....  A vida. Verdade. Salvação. 

I Pedro 1:5-9

"O teu caráter é aquilo que Eu formo dos fragmentos quebrados de tuas provações; portanto aceita as experiências mais duras com gratidão".

A liberação. De volta para casa



Até aquele momento ela não sabia de nada, apenas suspeitava que algo de muito grave estivesse acontecendo.  A liberação  dada pelo médico, voltamos para casa, o Flávio, motorista da Prefeitura com muito zelo no percurso, gastamos cerca de quase 2 horas de Curais Novos para Tenente Laurentino Cruz. Ficou instalada por alguns dias na Maternidade, com assistência carinhosa de todos os profissionais, enfermeiros, pessoal de apoio, enfim todos.
As visitas não paravam e a todo instante sentia-se mais a vontade.
Não poderia falar nada para ela sem que tivesse uma certeza absoluta que seria  dada pela biópsia, cujo material estava a disposição do laboratório para o estudo e efetivação do laudo.  Lutei em jejum e orações par que o laudo fosse negativo, mas era impossível aos olhos humanos o resultado negativo, em virtude da larga experiência dos médicos que a trataram falarem  com muita convicção.
Não poderia falar para que ela não se entregasse a má notícia, esse era o meu receio prudente. Falaria sim, mas com o laudo em mãos.
Doutor José Fernandes, homem experimentado na medicina, visitou-a e depois me levou para uma sala e me perguntou:    Eduardo falou com você? Respondi que sim, simplesmente sim, e desviei a conversa porque não agüentaria que arranhasse a minha fé, depositada apenas no Deus Todo Poderoso, Senhor da Vida e da Morte.
Novamente, depois de algumas conversas diferentes, inclusive sobre política, perguntou-me:  Eduardo, falou mesmo com você?  Respondi que sim e desta vez, disse, que sabia que o caso era muito grave e que não restava  alternativa a não ser depositar a confiança em Deus e mais nada.
Você não acredita em milagre? Respondeu-me, apenas baixando a cabeça.
 Senti que estava sozinho e me lembrei do Monte das Oliveiras e a agonia de Cristo.
Oh Deus, se possível for afasta de mim este cálice, mas se for da Tua vontade que eu o solva de uma só vez.

 "Conhece a tua hora de Visitação. Mat. 8:21,22"

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

2ª Batalha -


Em orações silenciosas no coração  e no pensamento e a  ministrando Johrei(Luz Divina), nossas práticas Messiânicas. Quando foi com mais ou menos 40 minutos o sangue que saía na bolsa de urina, começou a  limpar  e Verônica a acompanhante, sentiu-se maravilhada e com muita alegria dizia: Chaguinha,  estar limpando, limpando...
Daí então, as enfermeiras fizeram novamente a retirada dos resíduos  e o médico a visitou  novamente aplicou mais uma bolsa de sangue, completando, assim, quatro bolsas de sangue tomadas.
E o Dr. Eduardo Pontes, resolveu reacender nossas  esperanças porque  falou que não a liberaria no domingo e somente na terça feira, dois dias depois.
Naquele sábado, 18 de setembro, como não podia ficar  na enfermaria tive que ficar fora do hospital, comprei cartões telefônicos e de orelhão liguei par Igreja Mundial do Poder de Deus, e todas as ligações frustradas porque o telefone apenas chamava, era atendido mas permanecia em silêncio. Várias ligações perdidas, até mesmo de celular. Sabia que tinha que continuar tentando.
Não tendo onde ficar porque a dor que sentia naquele momento era enorme, um sentimento de perda de impotência, mas gritava dentro de mim. Onde estar a tua fé, é agora o momento de colocar-se a prova!
Dirigi-me a Igreja Mundial do Poder de Deus em Currais Novos. Chegando lá por volta das 12:00 horas. Igreja fechada, não poderia estar aberta aquela hora, mas mesmo assim, sentei-me sozinho em frente a porta e sozinho dizia: Eu sei e creio que estais aqui, portas fechadas para ti não existe, e estou aqui para clamar pela vida da minha esposa, mãe, companheira e somente sairei daqui quando sentir pelo mesmo alguma paz de espírito porque estou muito angustiado. Em pouco tempo comecei a sentir mais firmeza. Vamos lutar o Senhor da Vida é apenas um e este é o meu Senhor Jesus Cristo. Bati na porta e disse que iria voltar para o hospital com a certeza de continuar lutando na fé e na esperança.
A noite,  resolvi comprar mais um cartão telefônico e de dentro do Hospital liguei para a Igreja Mundial do Poder de Deus. O telefone  chamou alguém o tirou do gancho, pois parou de tocar, foi ai que não perdi tempo e no silêncio da outra ponta da linha. Disse:
Senhor Jesus Cristo, sei que estais ai a me escutar, pois até os telefones dessa Igreja estão ungidos por Ti, e sei também, que no silêncio houve a minha voz, o meu clamor pois,  estou muito angustiado. Peço-lhe pela vida da minha esposa, e repreendo e não aceito esse espírito de câncer, nem tampouco o espírito de morte. Senhor,  atendei-me, pela vossa misericórdia. Sei que não mereço porque somos humanos e somos imperfeitos e somente o Senhor é perfeito e Senhor da vida e venceu a morte. Por isso, colocamo-nos em vossas mãos e desde já agradecemos.
As palavras me faltaram, ao mesmo tempo em que o telefone deu sinal de ter sido desligado do outro lado da linha. Naquele instante senti uma paz e uma certeza que o Senhor Deus nos ouvia. Glorificado seja Senhor Teu Nome em Todo Universo, material, molecular e eletrônico. Nos quatro pilares da criação, a água, o ar, fogo e terra. Em todo lugar.
Graças a Deus com jejum e orações diárias enquanto permanecesse aquele quadro de luta.
A tarde recebeu muitas visitas. Mas, ao cair da tardinha senti que as coisas iam  tomar um direcionamento muito forte. Ora, a cirurgia tinha sido feitas as pressas sem nenhuma preparação, pois já algum tempo ela não conseguia mais evacuar. E ao ministrar Johrei senti a batalha que ela tinha que travar naquela noite. Não podia falar nada para ninguém sobre esse assunto. Quem  me acreditaria...
Resolvi voltar para casa em Tenente Laurentino Cruz – RN e durante toda a noite fiquei em vigília, em orações, clamando e em espírito de  adoração, enquanto olhava para minhas  filhas que de vez em quando  assustavam-se,  principalmente a  pequena dizia: Mãeeeee, do jeitinho dela como sempre chamava e não largava do pé dela.
Há!  Aquilo me maltratava demais, ás lágrimas rolavam  somente em pensar que tudo poderia tomar um destino diferente que não fosse a vida. Como seria minha vida com as minhas filhas, com a ausência da mãe. De uma coisa tinha certeza, jamais as deixaria sem a minha presença,  já vivi o bastante, sofri o bastante, mas também fui feliz o bastante e agora somente pensava em viver,  único e por inteiro para elas.
Em vigília de orações, senti a que algo estava acontecendo. Meu Deus, ilumina-me,  o que devo fazer?
Pela espiritualidade da Assunção  a Distância, arte aprendida pelo ensinamentos Rosacruzes,  dirigi-me a presença dela e senti as dificuldades que ela tinha em defecar, quantas dores horríveis, expulsar algo de dentro de si que não havia condições de sair. Foi então, que no enorme esforço  e pela determinação em Nome do Senhor Jesus, senti minha mão direita penetrar por entre suas entranhas e arrancar algo que parecia assim , como uma bola de sabão, mas era enorme. E naquele momento em vigília disse: Graças a Deus, Glorifiquei com a certeza do acontecido.
No outro dia, a Verônica enfermeira que estava cuidando dela confirmou o acontecido e da mesma forma como descrito. Sabia que mais uma batalha tinha sido vencida. Porque no meu entender, apesar do médico não ter dito tudo, senti que nas suas preocupações que  o caso estava no peritônio como  é costume aqueles tipos de maldito câncer estender-se.



SENSIBILIDADE ESPIRITUAL:

Tenho unido a Minha Alma à tua alma, num Concerto de Sangue.  Redimi-te da destruição. Refinei-te na fornalha das aflições. Usar-te-ei agora, e tudo que peço é que fiques diante de Mim, tranquilamente, aguardando a Minha Palavra no íntimo de tua alma. Esta comunicação nunca falha. Ela nasce, espontânea, como o poder da cura que vem pela fé.
I Cor. 12:7-11

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Hora da verdade - Diagnóstico.


Ao terminar a concentração, Clara e Cecília já estavam bem, voltamos para o Hospital. Consegui entrar e fui até a sala de enfermaria,  e naquele momento ela já estava sendo trazida para a respectiva sala, vinha segurando uma  bolsa de sangue,estava  grogue mais consciente.
Gilza!  Falei baixinho. Respondeu-me: oi meu filho, cadê as meninas,
Respondi que estavam lá fora esperando.
Ajudei o enfermeiro, a colocá-la na cama, falei com as enfermeiras e pedi que  estivessem atentas,  pois sabia que ela estava bastante debilitada. E  disseram para que não me preocupassem, pois fariam tudo o que fosse possível para que ela estivesse bem e senti um amor diferente por parte daqueles profissionais que até então desconhecia.  Ora,  era a primeira vez que me deparava com uma situação como aquela. Como é difícil...
Voltei para casa com as nossas filhas, Cecilia e Clara. Antes, providenciei uma enfermeira, que de forma voluntária, prestou-se  a cuidar dela e logo pela manhã  já estava  ao lado dela.
No dia seguinte recebeu visitas, riu, brincou como sempre. Mas sabia que a luta estava apenas começando.
Sábado, 18 de setembro, às 06h00min horas da manhã. Depois de ter passado a noite  em vigília e entre intervalos olhando para as minhas filhas deitadas ao meu lado, passava pela minha memória, minha vida desde criança até aquele momento, nossa família que tão bem tínhamos conseguido permanecer, com amor, compreensão, educação...
O aviso chega através de Zé de Biu, popularmente assim conhecido, que o Dr. Eduardo queria falar comigo com urgência, urgentíssima.
Dirigi-me até a cidade de Currais Novos e na viagem preparei-me para enfrentar a verdade sobre o diagnóstico, pois sabia que a situação era muito grave. Entrando  no hospital, levaram-me a presença de Dr. Eduardo, não o conhecia pessoalmente, mas já tinha ouvido falar dele, como médico experimentado e convicto das situações mais difíceis.
De bermuda, cabelos grisalhos, ar de preocupação  entendi que era chegada à hora:
Um breve instante em silêncio:
“Sou apenas um postulante, um Neófito nesta vida. Mas,  acima de tudo o Senhor é o Meu Pastor nada me falta. Ele me faz caminhar em pastos verdejantes. Guia-me mansamente as águas tranqüilas. Refrigera a minha a alma. Guia-me pelas veredas  da Justiça por amor de seu Nome. Ainda que eu atravesse o vale escuro, nada temerei, pois estais comigo. Vosso bordão e Vosso báculo são o meu amparo. Preparais para mim a mesa a vista de meus  inimigos. Derramai o perfume sobre minha cabeça e o meu cálice transborda. Certamente a bondade e a benignidade me seguirão por todos os dias de minha vida e habitarei na casa do Senhor para todo sempre.”
E nas águas profundas continuei:
“Sim e meu ser interior conhece todos esses caminhos,  pois já habitou por inúmeras moradas nesse mundo escuro. Mal  grado minha memória não diga, pois já passaram pelos meus olhos incontáveis milhões de anos. E meu ser interior conhece todos esses caminhos.
Resoluto, submeto-me a prova.
Reflexão. Sim. Refletir é o meu propósito. Eis a misteriosa chave que me conduz ao infinito.
Sou  apenas um peregrino em busca da Luz.
Entrei na sala, fiquei em pé diante dele como se já soubesse todas as palavras que seriam ditas. Mas o pior ainda não estava convicto  que a situação ainda era mas difícil  do que podia  admitir.
De forma dura enérgica, pediu para eu me sentasse, preferi  ficar em pé diante dele, mãos em posição de  defesa e aceitação  em posição de descanso.
Disse: A situação é muito difícil, quase não consegui tirar, estava já muito adiantado, mas consegui chegar até o final dos procedimentos.
Continuou: Câncer em estado muito avançado. E estou liberando-a amanhã, domingo as 09h00min da manhã para que vocês possam levá-la para casa.
Mesmo estando preparado  para aquele momento, minhas pernas quase desabaram peguei uma cadeira, sentei um pouco e perguntei  se podia ir ficar com ela naquele instante e me respondeu que sim, apesar de que estava fora do horário de visita.
Respirei profundamente: E agora...
Preparei-me mais um pouco e dirigi-me até a enfermaria. Ela  Estava tomando a terceira bolsa de sangue. Do dreno,  saíam coisas fortes. Da bolsa de urina, o sangue era como, se  o que estivesse entrando pelas veias estivessem,  também saindo.  
A Verônica, a enfermeira que estava acompanhando-a demonstrou claramente suas preocupações e sei que  ela também já sabia, mas que pelos procedimentos éticos da medicina não podia expressar-se em palavras e eu conseguia enxergar tudo aquilo sem que me alterasse e não deixava transparecer as minhas preocupações. Dizia-me: Chaguinha você  tem fé reze, reze, reze.
A chegar perto dela, abriu os olhos falou comigo e naquele instante chorei, e ela me perguntou por que chorava e tive que dizer que era porque nunca a tinha visto naquele estado e então tinha ficado muito  emocionado.
Dias depois ela me falou que tinha desconfiado das minhas palavras porque sabia do meu controle das emoções em tudo que faço.
Pedi a Verônica para  ficar sozinho com ela, e sabia que era a hora de começar a buscar a Deus com todas as forças dos nossos corações:



Salmo 24 – Deus, guia do fiel.

“Para vós, Senhor,  elevo a minha alma.
“Meu Deus, em vós confio: não seja eu decepcionado”

Continua...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Primeira batalha.



Dirigimo-nos para a Igreja Mundial do Poder de Deus e coincidentemente naquele instante estava começando a concentração de fé e milagres, louvor, adoração ao Pai, ao filho e Espírito Santo.  Logo ao início da concentração, senti uma presença muito forte da Presença de Deus, senti uma emoção que jamais tinha experimentado, era como se fosse chamado a atenção que de ora em diante teria que colocar a fé em ação, reunida em todos os conhecimentos que até então tinha penetrado nas águas profundas, Ensinamentos Ecumênicos: Católico, Rosacruz, Evangélicos, Messiânico (Johrei do qual  pela vontade de Deus sou Ministrante), Ensinamentos Espírita, Gnóstico e principalmente a prática Evangélica do Deus Vivo da Igreja Mundial do Poder de Deus, através do Apóstolo Valdemiro Santiago e da Bispa Franciléia.
Naquele  momento de oração, minha filha Maria Clara foi tomada de uma crise de vômitos, entrava e saía durante a reunião, sem parar e naquele instante sabia que deveria estar com a fé em ação.  “Não sairei da presença do Meu Deus”. Assim sustentei...
Com a minha Santa ignorância de guerreiro  “Nem que vaca tussa”, já em voz de batalha contra o inimigo invisível. E Disse para ela:  agüenta firme que daqui  não sairei.
Foi então que tive uma visão no mesmo instante  que estava acontecendo a cirurgia, e vi como se uma mangueira, passasse por cima dela, e algo estranho estava sendo sugado, como se fosse um aspirador.  Senti, no entanto,  o médico cirurgião dizer, não vai dar, tenho que parar é impossível. Naquele momento em oração, gritei “não, não pára, continua, em Nome do Senhor Jesus Cristo, continuaaaaaaaaa.
Tanta angústia sentia que as lágrimas se derramavam sem controle das minhas emoções, pois sabia naquele momento que a situação era muito grave.
“Quando o Senhor Deus fez o Homem a sua imagem e semelhança e ao tempo teve que expulsá-lo do paraíso, foi tão misericordioso que deixou uma janelinha aberta para nos comunicarmos com ele, através das lágrimas”.

Salmo 22-3

Restaura as forças de minha alma.
Pelos caminhos retos ele me leva, 
Por amor do seu nome.

continua ...

domingo, 9 de outubro de 2011

Nova criatura também sou.

Vida nova se tem todo dia.
Realmente é difícil receber uma notícia de um diagnóstico cruel como o maldito câncer. Uma  sentença de morte sem piedade, assim na maior frieza sem lhe dar tempo de aceitar ou não o diagnóstico. É muito forte o impacto, ainda mais quando o médico diz:  “tem que ser operada agora”.
Doutor  mas...  Não tem essa chance de nem  mas, nem porém, já marquei com o Dr. Eduardo Pontes e ela tem que ir agora. As 16h30min minutos do dia 16 de setembro de 2010, o diagnóstico, às 17h00min horas viagem, às 18h00min já no Hospital em Currais Novos, às 19h00min, sala de cirurgia. Quase impossível tamanha urgência. Assim, prescreveu o Dr. José Fernandes, que se não fosse pelo devido reconhecimento que tem como profissional, seria uma verdadeira discordância de minha parte com relação ao diagnóstico.
Confesso que o impacto foi tão grande que passei um bom  tempo, sem assimilar   as informações.  Mas,  ao mesmo tempo, sabia que tinha que confiar em Deus e depois na equipe médica, principalmente no Doutor José Fernandes, que sabia ter uma experiência reconhecida. 
Era notório o  quanto a minha companheira, esposa, mãe, amiga e mulher estava padecendo  e de forma muito rápida, a cada dia os sofrimentos aumentavam.  Durante as noites sofria muito, tinha pesadelos, mas achava que era algo simples, porque a pouco tempo antes do dia 16 de setembro tinha feito exames, e não havia muitas preocupações.
Sempre fui uma pessoa voltada para os estudos de assuntos  profundos e polêmicos, buscando  verdades. Procuro  sempre penetrar nas águas mais profundas, sejam quaisquer tipos de assuntos, sei que não é muito aconselhável a investigação sobre  muitos assuntos misteriosos, mas que posso fazer sinto-me bem ao estudá-los.  Mas, confesso que a surpresa de uma má notícia daquela estirpe é para desestruturar qualquer  pessoa.
Encaminhada para Currais Novos-RN, consegui chegar antes do horário da cirurgia junto com as minhas duas filhas, Clara e Cecília, porém não deu mais tempo para vê-la porque já estavam preparando-a  para os procedimento cirúrgicos.
Não havia alternativa que se pudesse escolher, entre ficar, esperar e não querendo deixar minhas filhas sozinhas num momento como aquele, principalmente a menor Maria Cecília que não larga  da mãe em momento algum e naquele instante, o que fazer?

“O Senhor é o Meu Pastor nada me falta”. 

Continua...

Olá pessoal, espero que a paz de Deus esteja reinando em vossos corações. Eu estou bem, graças a Deus... Tenho feito minhas orações, sempre agradecendo a Deus pela minha saúde, pelo dom da vida, pela harmonia em meu lar, pelos amigos... Venho me preparando psicologicamente para enfrentar a próxima cirurgia...
Nesta segunda-feira, estarei indo à Natal para fazer novos exames e na terça-feira, irei ao Hospital Luis Antônio para apresentá-los e marcar a data da cirurgia...
Esta cirurgia será para a retirada de uma hérnia, uma aderência cirúrgica peritoneal e a retirada do cólon do útero, bem como a limpeza das paredes abdominais... Procedimentos padrões nestes casos.
Peço a todos, que continuem as orações, confiantes e seguros que Deus está no controle. Espero voltar novinha em folha para assumir minhas funções de professora no próximo ano. Aos meus alunos, pais e colegas professores, aqui o meu apreço, o meu abraço, o meu carinho, com a certeza de que estaremos juntos em breve.
A partir de agora, deixo este espaço para as postagens de Chaguinha, pois paralelo aos meus escritos, ele sempre fazia seus textos... Nestes textos, Chaguinha relata os problemas enfrentados por nós, mas com a visão de quem acompanha, de cuidador... Espero que como os meus textos, os escritos de Chaguinha sirvam de amparo aqueles que cuidam de pessoas doentes, que estas pessoas tenham paciência e acalento na palavra de Deus.
Breve voltarei a escrever...
Um abraço carinhoso e que a paz esteja com todos vocês!

Salmo 26.1-2
O Senhor é a minha luz e minha salvação, a quem temerei?
O Senhor é o protetor de minha vida, de quem terei medo?