sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Portal Revisando - Perguntas e Respostas

Açude Marechal Dutra - Gargalheiras-Acari-RN

PORTAL REVISANDO - PERGUNTAS E RESPOSTAS.
Pergunta:  Aulas com qualidade bem avaliada e com Segurança e comodidade dos alunos.

Resposta. Com qualidade porque podem ser preparadas com tempo suficiente, além de poder ser vista e revista antes de sua apresentação e receber, inclusive, alterações, se for o caso, de forma a expressar o melhor conteúdo sem desvios.
Com segurança e melhor comodidade em virtude das aulas serem assistidas dentro das suas próprias casas ou nos ambientes devidamente seguros, podendo ser assistidas tantas vezes quanto necessária até o aprendizado do assunto trabalhado.

Pergunta:   Uma sugestão de Redução significativa de custos escolares.

Resposta. Ora, todos sabem o quanto se é gasto numa unidade escolar na produção de material de exercícios e provas, envolvendo custo de mão de obra, desperdício de tempo, despesas de materiais diretos e indiretos à produção do material, além dos desperdícios de papéis de oficio, entre outros.
Busca reduzir custos em função de que a escola pode usar o sistema do Portal Revisando para que os alunos possam fazer as provas, exercícios diretamente do próprio Portal e de cada assunto, pois teremos no mínimo 30 exercícios de cada assunto estudado.
Então de posse de apenas um cartão de respostas o aluno poderá fazê-lo, diante de uma página aberta e de forma coletiva, porque serão vistas mediante as imagens produzidas pelo aparelho de data show.

Pergunta:   Rendimento escolar com melhor controle do tempo na internet  nos ambientes virtuais.

Resposta. Melhores rendimentos escolares em função  que os trabalhos em conjuntos, escolas e ambientes virtuais, poderão ser utilizados no contra turno, além dos trabalhos de casa.
Ora, se o aluno em sua casa, acompanhado pelos seus pais ou responsáveis estiverem nos ambientes do espaço de Reforço Escolar, comparativamente demandará um melhor controle no acesso de outras páginas da internet que não sejam adequados à formação de caráter dos filhos. Além, de que a própria mãe,  por exemplo poderá ser uma professora do seu filho naquele dado momento, mãe ou responsáveis ou até mesmo interessados no aprendizado do interessado. No caso de ausência de responsáveis, o critério de acompanhamento poderá ser feito pelas as escolas nos espaços destinados aos laboratórios de informática acompanhados pelos coordenadores ou professores.

Pergunta:   Possibilidade de inexistência de aulas vagas nas escolas.

Resposta.  Vejamos. Se a escola fez opção pelo nosso sistema, automaticamente ela terá todas as aulas dos assuntos das matérias básicas à sua disposição. Então quando faltar um professor os alunos não serão prejudicados e nem a escola também pela falta do professor naquele dado momento, tendo em vista que os alunos poderão assistir  aulas vagas em ambientes coletivos de acesso a internet.

Pergunta: Assistência às escolas no apoio e controle de distorção de idade e ano escolar,  equacionando o equilíbrio progressivos dos alunos fora da faixa etária.

Resposta. Esse é o maior problema da educação do País, a distorção de idade série dos alunos. Alunos com idades em distorção das séries,  compreende-se pela inadequação compatível com a idade e ano escolar.  Exemplificando: um aluno reprovado por dois anos com idade de 12 anos quando deveria está no sétimo ano encontra-se estudando o quinto ano por exemplo. Ocasiona verdadeiros prejuízos ao Governo Federal, a escola e a comunidade escolar, em face, de que nesse mesmo exemplo tem-se alunos com idade de 12 estudando junto com alunos de idades de 9 anos.
Utilizar o Portal de Reforço escolar é uma solução para ser utilizado no contra turno,  devidamente acompanhado  por um professor que fará a adequação do aluno de forma progressiva.   Claro que a escola terá que fazer em primeiro lugar um diagnóstico em função da identificação, caso a caso e aplicar de forma específica.
Pergunta:  Assistência no tira dúvidas  por meio  de chat.

Resposta. Teremos além das aulas de vídeos, professores auxiliares à disposição para fazer os trabalhos do tira dúvidas por meio de chat, ou até mesmo contato telefônico. Esses professores serão alocados em função do número da clientela do site.
Pergunta: Sobre preço?

Resposta. O preço de acesso será quase simbólico de forma mensal da mesma forma que se compra os serviços da internet. Apenas de sessenta reais por mês para  ter acesso as aulas das matérias básicas equivalente ao ano escolar escolhido. Por exemplo: se aluno do sétimo ano, todas as matérias básicas do ano cursado.
O acesso será feito diretamente na página do site mediante a postagem de login e senha depois de se fazer um cadastro específico que gerará um boleto de pagamento. E somente depois de pago o sistema será ativado.
Com relação à preparação para concursos ainda estou estudando valores porque trataremos com professores com formação em cada área específica do concurso.
Pergunta: E os professores?

Resposta. Os professores são graduados, especializados alguns com mestrados e até  universitários referente ao curso que pratica de forma que crescerão junto no desenvolvimento dos serviços oferecidos. No momento certo divulgarei a lista dos professores.
Pergunta: Como  nasceu essa ousadia de se aplicar a fórmula para a educação no apoio escolar?

Resposta. Ora se Paulo Freire disse que o aluno se quisesse aprender as aulas poderiam ser ministradas até mesmo nos ambientes, digamos debaixo de uma árvore e mesmo sem fardamento. Temos apenas que atualizar os seus ensinamentos. Se um dia alcançarmos a comunicação por meio da telepatia ai teremos que novamente atualizar as informações. Falei alguma besteira...
Pergunta: Quer acrescentar alguma coisa ainda que não tenha sido perguntado?

Resposta. Sim. Não me foi perguntado sobre o relacionamento do Portal Revisando de Reforço Escolar, sobre a aceitação dos professores com relação ao assunto.
O que posso dizer que como Administrador de Empresas que é a minha formação Acadêmica. Tive uma experiência no meio educacional, tanto como professor, como durante sete anos a frente de uma Secretaria de Educação que cá para nós, pense num desafio excitante. Você lida com uma classe desunida que é uma beleza e se combatem politicamente nos ambientes educacionais que atrapalham a educação em tudo. De certa forma é um desafio mais somos conscientes disso.
O fato é que ao chegar a qualquer escola pergunte ao Diretor quantos professores a escola tem em readaptação, que significa professores fora da sala de aula por motivo de saúde e terá uma resposta que vários estão nessa situação com problemas de saúde. No mínimo se ele entender o foco da nossa oferta de serviço,  poderá voltar a sala de aula, falando menos, promovendo espaços de debates sobre os assuntos, além de disponibilizar mais tempo para o planejamento das aulas, com menor stress.
l) Suas considerações finais:

Resposta:  Dizer que ainda colocaremos mais duas páginas de acesso com relação à Arte, Cultura, Turismo e palestras de assuntos diversificados. Além de colocarmos uma página a ser utilizada pelos alunos de reforço escolar cadastrados no Portal Revisando, que poderão acessar de forma confidencial, mesmo que não queiram identificar-se, sobre seus problemas pessoais e receber uma ajuda de aconselhamento como apoio da base familiar, cujo aconselhamento será feito por pessoas de níveis profissionais, digamos assim como exemplo, um psicólogo, ou dependendo do assunto, um padre, pastor, pessoas que sejam exemplos no meio social. Sem contar que o maior problema hoje nas escolas do mundo é a causa do bulling e seus efeitos. O Aluno poderá acessar o Portal, fazer suas denuncias de forma confidencial e o Portal encontrará os caminhos para fazer acontecer o desenlace do problema. 

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

A Escola dos Sonhos - Portal Revisando




Olá Pessoal.

No dia 01 de janeiro de 2014, ano novo, novos desafios, desejamos a  todos muitas alegrias, paz, saúde e prosperidade e principalmente o amor   no relacionamento com Deus.
Nessa data, estaremos lançando no mercado educacional o PORTAL REVISANDO, oferecendo serviços de Reforço Escolar para o Ensino Fundamental,  Ensino Médio,  preparação para o ENEM, para concursos do Instituto Federal e também de forma específica   para concursos públicos na Modalidade a Distância.
Entre os benefícios que pretendemos atingir está intimamente ligada aos objetivos pelo Ministério da Educação no que diz respeito ao Programa - Compromisso Todos Pela Educação. Ofereceremos serviços como apoio escolar que atinjam com maior eficiência:
a)    Aulas com qualidade bem avaliada e com Segurança e comodidade dos alunos;
b)    Uma sugestão de Redução significativa de custos escolares;
c)     Rendimento escolar com melhor controle do tempo na internet  nos ambientes virtuais;
d)    Possibilidade de inexistência de aulas vagas nas escolas;
e) Assistência às escolas no apoio e controle de distorção de idade e ano escolar,  equacionando o equilíbrio progressivos dos alunos fora da faixa etária.
f)  Assistência no tira dúvidas  por meio  de chat.
Dizemos da clareza dos nossos objetivos que pretendemos atingir. Selecionamos professores formados, especialistas, e com mestrados para ministrar aulas de reforço das matérias básicas, além das matérias exigidas em concursos  públicos.
Vamos oferecer ainda, páginas abertas ao público em geral visitantes do site:
a) Arte,  Cultura, Turismo  e palestras diversificadas;
b)Arte do Desenvolvimento Comportamental - Palestras diversas com assuntos educacionais, além promover a assistência virtual  aos nossos jovens e adolescentes por meio do aconselhamento  como apoio da base familiar.
Desta forma, rogamos a Deus que nos ajude e esteja sempre diante dos objetivos almejados como  instrumento de apoio a Educação em geral, para fazermos  a nossa parte,  ajudando a transformar o mundo, formando juntamente  com todos um mundo de paz, amor e espiritualidade.
Dizemos ainda, que o PORTAL REVISANDO, foi construído em homenagem a uma das maiores educadoras anônimas desse país,  que assim como tantas outras  labutam no mundo da  educação também de forma anônima, mas que fazem a sua parte em benefício da humanidade. Essa pessoa é a minha mãe que partiu para o Reino Espiritual Educacional em 24 de dezembro de 2012.
Com amor,  oferecemos  nossos frutos vindo do seu exemplo.
Dedicamos esse Projeto a   Professora Gilza Medeiros –“In memorian” da   Escola Silvino Garcia do Amaral, Zona Rural,  localizada no município de Tenente Laurentino Cruz – Rio Grande do Norte.


Feliz Natal e  Próspero Ano Novo.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Memórias....









E entre convulsões,  apesar de ter no rosto uma serenidade sentia a batalha em que se travava até que num determinado momento senti uma necessidade de chegar mais perto, como se fosse um chamado inconsciente , naquele momento recebi uma ligação celular, um amigo da Igreja fez uma oração pelo celular comigo para que tivesse a fortaleza necessária para enfrentar a situação porque ele sentia que nada estava bem, e coloquei no ouvido dela enquanto as orações trilhavam no plano espiritual consolidando uma vitória na batalha travada.
Alguns minutos passaram-se, e dos seus olhos saíram um derramamento de lágrimas muito fortes e depois ficou quietinha. E disse ao enfermeiro, que estava nos acompanhando que observasse que ela estava quietinha e silenciou nos movimentos, e a partir  desse momento o trabalho de parto, um novo nascimento estava sendo processado no plano espiritual.
Foi então, que me lembrei das palavras que foram ditas com o seu acordo; “Que agora ela só iria quando o Senhor Jesus, estendesse as mãos e a recebesse, então ela iria mas de outra forma não.”
Desabei naquele momento em prantos, pensava na minha família, nas minhas filhas, na minha solidão sem ela, porque nunca nos afastamos um do outro a não ser por necessidade e passou um filme na minha cabeça com uma rapidez, que senti como se transformando, sem que tivesse controle mais de nada.
Ao ser consumado a passagem, senti uma tremenda solidão espiritual, uma sensação involuntária de controle da vida. Realmente o homem nada é mais do que como uma chama acesa e ao apagar-se quem seria senão apenas o ar, integrado, ao éter, energia apenas.
Mesmo sem que houvesse mais vida. Indaguei-lhe: Gilza, nunca conversamos nada sobre esses momentos, nunca tivemos  nem coragem de pensar, porque o que queríamos era nossa vida,. nossa felicidade, mesmo assim, me diz, onde você gostaria de ficar?
De uma forma muito forte, porém cansada, como se alguém estivesse acordando de um sono profundo aqueles em que as palavras precisam ser forçadas para que sejam emitidas, ouvi.
“Me deixe ficar com a minha famíliaaaaaaa”.
Respondi: Gilza você está falando comigo. Respondeu: Simmm. Com uma voz arrastada e cansada.
Chamei Helena a irmã dela e disse: Helena, Gilza me pediu para ficar com vocês aqui, junto com a família e relatei o que aconteceu.
A partir daí a Helena cuidou junto com a família para que se  processasse na última morada dela junto com o seus familiares, pai, irmãos, avós, avôs, tios.
Depois que foram efetuado todos os procedimentos de praxe do hospital, o corpo foi encaminhado para o necrotério. Ora pela primeira vez que visitaria um necrotério, como seria isso, nunca tinha visto.
E ao chegar lá, me deparei com vários leitos de cimento e em um deles o corpo foi colocado, e fiquei ao lado dela, enquanto sua irmã Helena ficou lá fora, sentindo a sua ausência e pensando na vida de todos.
Chorei muito, cantei, orei, enfim, nesses momentos nem mesmo com toda preparação alguém poderá dizer o que faria se estivesse no meu lugar. Abri as pálpebras dos seus olhos, e sentia como se ainda estivesse vida.
Pedi perdão de tudo, sei lá, por algo que poderia ter feito e ela não ter gostado ou até  mesmo o que tinha deixado de fazer e lembrei-me que em vida já tinha feito a mesma coisa e ela me respondeu passando suas mãos no meu rosto e dizendo; “Meu filho, porque me pedes perdão, se não tenho nada para lhe perdoar, ao contrário eu é que agradeço em fazer parte da  sua vida.Não nego mas aquilo me deixou muito feliz.
Entre conversas: Disse: Gilza me diz o que será de mim sozinho para cuidar das nossas filhas, nunca me preocupei nem mesmo em aprender nada, tudo você cuidava.
E ela me respondeu com uma voz cansada, arrastada: Eu vou lhe ajudarrrrrr.
Indaguei: Gilza você está falando comigo, está falando comigo, estou ouvindo sim.
Ela respondeu: Sim.
E indagou: Vou lhe pedir uma coisa.
Respondi: Tudo o que você  quiser, peça, pode pedir.
E continuou: Não fale mais naquele assunto não.
E de uma forma bem diferente, sabia de qual assunto falava: E perguntei: Você perdoou e ela respondeu que sim, perdoei.
Então eu disse que também perdoaria e quando ela me procurasse, diria que você tinha  perdoado e eu a perdoaria também.
Naquele momento também tive a ousadia de falar e pedir o que gostaria. Era uma sensação tão forte, como se ela estivesse viva, conversamos e até mesmo esquecia que nada daquilo estava acontecendo. E pedi:
“Gilza, vou lhe  pedir para você não deixar o seu rosto ficar deformado não, para que possamos admirar a sua naturalidade, sua beleza, pelo menos por mais dois dias.
Pedi porque a causa  mortis  tinha sido, insuficiência respiratória, enfarto do miocárdio e em decorrência da suspeita do retorno do problema maior. E naquele momento estava ficando inchada, tirando o formato do seu rosto.
Silenciou e não houve resposta, apenas silenciou.
E continuei, porque estava sentindo essa necessidade de conversar mais ainda, até que senti, que ou como se estivesse sendo avisado de que a funerária estava prestes a chegar.
Gilza, indaguei: Posso lhe pedir uma última coisa, posso. E silenciou e senti como se ela tivesse se virado para alguém ou algo que estivesse na sua retaguarda a sua espera. E continuei: Posso. E silenciou, e fiquei a espera de uma resposta, até que a resposta veio, cansada: Pooodddde.
Isso logo após, assim entendo, como uma autorização para que fosse dada  aquela resposta.
E continuei: Olhe, vou fazer uma oração e invocar a Divina Presença, e a Presença do Arcanjo Miguel, para que ele possa te guardar e entregar você nas Mãos do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e você possa sair daqui agora, e a partir desses momentos você elevar-se e não ficar aqui, para me ver chorando, nem nossas filhas, nem seus familiares, nem as pessoas que lhe querem bem. Tá certo. E apenas o silencio ficou.
E fiz do fundo do meu coração tirando de dentro mim, tudo o que poderia fazer com a minha sinceridade quando estou buscando a Divina Presença.
Bíblia Sagrada – Livro de Judas 8 e 9.
A partir daí meus olhos espirituais viram-na caminhando segurando na mão do Anjo de Luz que a levava, serena e tranqüila, sem mais olhar para trás.
Logo em seguida chegou os serviços funerários e a levou,enquanto me dirigi até a Sede da Diocese a chamado do Administrador Diocesano padre Ivanoff.
O Administrador Diocesano, falou da possibilidade de levá-la novamente até Tenente Laurentino Cruz – RN, para que fosse feita uma Missa de corpo presente, a pedido dos comunitários, em virtude do belíssimo trabalho que ela teria feito, tanto na Igreja Católica, como na Educação Municipal e entre outras atividades que a marcou muito na lembrança da população e mais ainda, na comunidade rural, onde vivemos por mais quase dez anos.
Providenciamos e que no dia seguinte a Missa seria realizada  na manhã do dia 25 de dezembro de 2012 na Igreja de São Francisco – Tenente Laurentino Cruz – RN.
Tão logo o corpo retornou depois dos preparativos da funerária, já estávamos  esperando-a, junto com as nossas filhas, familiares e amigos.
Ao abri e deixar a mostra o seu corpo, confesso que nunca tinha visto tão bonita, uma sensação de ternura, serenidade e seu rosto intacto como se tivesse sido preparada para aquele momento. 
E quando a vi, algo disse muito forte. E repeti para Chiquinha, uma amiga  nossa  que estava vendo e ouvindo; Chiquinha algo me fala de Santa Terezinha, porque será?
Não entendo muito dessas situações da Igreja de Santos e Santas, são tantas que não procuro me ater e nem explorar as riquezas que há por trás de tudo isso, sem que haja idolatria ou acesso acima do Senhor Jesus.
Chiquinha me respondeu: Que só falta a rosa  nas sua mãos. Tão logo ela falou isso, sua sobrinha, trouxe uma rosa e colocou nas mãos dela e tudo aquilo gerava para mim, motivo de conforto. Mas disse, que achava que a rosa ainda não seria aquela que Santa Terezinha tinhas nas mãos, já tinha visto em alguma Igreja, seria um lírio branco  talvez.Chiquinha respondeu que sim. Seria um lírio branco.
No outro dia como estava previsto dirigimo-nos para Tenente Laurentino Cruz, par a Missa de corpo presente, quanta comoção existiu naquele momento, uma Missa tão bem participada, o coral da qual participava cantava suavemente, ainda que todos estivessem comovidos e entre lágrimas pela perda do seu ícone maior,  entusiasta e liderança natural,  porque sentia um prazer tão grande em fazer as coisas da Igreja junto com todos.
Ao terminar, retornamos para Caicó e no percurso de saída da cidade, as pessoas se aglomeravam nas esquinas com ramos nas mãos acenando. Aquela imagem nunca que me sairá dos meus pensamentos, era uma despedida tão bonita que as vezes me pergunto, se seria merecedor de ter  feito parte da vida dela.
Ao chegar em Caicó, tudo estava preparado e ainda pediram pra vê-la mais um pouco de tempo, até que a mesma pessoa que antes tinha trazido uma rosa, veio e depositou um lírio branco em suas mãos.  Quanta felicidade sentia naquele momento porque sentia a Presença de Deus muito forte.
Realmente O Senhor Jesus Cristo tinha vindo buscá-la, naquele dia era o dia das comemorações natalinas, nascimento do Senhor Jesus.
Assim, como prometi fiquei com ela até o final e ajudei a deixá-la no local que para mim está na minha memória para sempre, mas de uma forma muito suave, e confortada.
Na quarta feira, ao acordar quis que tudo aquilo não passasse de apenas um sonho, passei a mão do meu lado e procurei sentir no vazio algo que pudesse alimentar com a esperança. Nada, tudo era vazio.
Entre o sono e ao acordar, fiz  as minha orações ainda sob a terna Presença, e pedi para vê-la. Meus olhos espirituais,  viram-na caminhando entre um plantio de trigo e flores, caminhava de costas, a distância, suas vestes eram umas vestes brancas de luz muito brilhosa e os ramos do trigo e as flores se inclinavam em sua direção, enquanto ouvia nos meus ouvidos espirituais um canto de Hosana, Hosana nas alturas, Hosana ao Rei.
Chorei copiosamente, mas desta vez de uma forma agraciada pela fé.
Tentando encontrar algo para ocupar a minha mente e preencher os meus pensamentos me dirigi até ao sítio e ao descer a estrada do lugar chamado Lanchinha, calçamento em declive,  uma ladeira. No mesmo lugar em que há três dias atrás, tinha me perguntado sobre a  planta da Groselha e que tinha respondido que não sabia, diante de uma seca da qual estávamos passando se ainda estava viva ou não.
Disse com forte suave : Coloque água no meu pé de Groselha.
Ao chegar no sítio fui até o local do pé de groselha, coloquei água e disse em voz alta.
Agora sei que  estais mais viva do que todos nós, tu já tinhas vindo antes de mim e viu que o seu pé de groselha está vivo. E todas as vezes que aqui vier visitarei o seu pé de groselha.
Está tudo consumado e o que posso dizer, assim como Jesus disse;

"Pai que se faça a Tua vontade e não a minha".






 "Que a Paz, a Saúde e a Felicidade reine em                 nossos corações"

"Tudo para honra e Glória do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo"













quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Memórias...






Ao chegar no Hospital – LIGA de Caicó, nos deparamos com as portas fechadas e recebemos a notícia de que naquele dia 24 de dezembro de 2012, o Hospital não funcionaria, todos os funcionários, médicos, enfermeiros, estavam liberados em decorrência das comemorações natalinas.
Fomos a outro hospital por indicação de sua irmã Helena e ao chegarmos lá, o médico já estava nos esperando na portaria.
Disse: Pronto Gilza, chegamos e ela perguntou quem era o motorista e ainda quis brincar querendo perguntar ao motorista se estava dando trabalho. Respondi que naquele momento tínhamos que está preocupado somente com o atendimento de urgência.
Enquanto era levada para o setor de urgência, o médico me chamou e perguntou sobre o problema, quero dizer uma consulta e apresentação de exames que tinha em   mãos e os mais recentes.
Respondeu que havia uma suspeita do retorno do problema, mas preferia aguardar em virtude dos exames recentes e consultas efetuadas com o médico assistentes dos tratamentos e os mesmos terem sidos  analisados há 7 dias atrás.
Todos os procedimentos estavam sendo providenciados e me dirigi para ficar com ela, junto com a sua irmã, logo que cheguei perto dela, me disse: Meu paizinho.....
Respondi: Não  Gilza seu paizinho é Jesus Cristo, eu não. E  repetiu as mesmas colocações... você  é   paizinho.
Estaria delirando, mas em virtude de ter sido a segunda oportunidade que falou isso, resolvi perguntar a Helena.
Ela me chamou de  meu paizinho Helena, acho que está delirando. E Helena me respondeu: não Chaguinha era assim que chamava o pai dela. O pai dela faleceu  há 19 anos passados.
Foi então que comecei acordar que poderia está vivendo seus os últimos momentos.
Indaguei:  Gilza,  podemos fazer uma oração juntos e ela assentiu que sim.

“Senhor Nosso Deus, Pai querido e amado, que nos criou a sua imagem e semelhança e por isso nos ama e a Tua misericórdia abriga-nos sob o Vosso olhar. Peço-lhe perdão de todos os meus pecados,   aqueles que conheço e aqueles que caíram no esquecimento. Pai perdoa-nos por tudo. Reconheço o Senhor Jesus como meu Único Senhor, e Salvador da minha Alma. Em Tuas mãos entrego-me completamente. Que assim seja. Amém.”

E ela depois de ter repetido junto comigo, completou com uma voz forte e cheia de júbilo. Graças a Deus, Graças a Deus, Graças a Deus.
A partir de então, chegaram os procedimentos médicos necessários por ordem médicas e não pode mais falar e apenas olhou para mim com um olhar tão distante. E não me contive em lágrimas, junto com Helena, sendo que ao mesmo tempo, chegara também outras irmãs para visitas rápidas.
A partir de então recomeçou a subida ao calvário, entre convulsões e mais convulsões, até que chegou o momento em que recebi uma ligação celular, em que o Prefeito de Tenente – Junior,  me perguntou se ela poderia ser  transferida para Natal e respondi que achava que não havia mais tempo para outra assistência em virtude do percurso ser muito distante, ela não  aguentaria.  E me pediu para mantê-lo informado.

Abro um parêntese para falar de assuntos históricos antes  relatados quero dizer em  matérias já divulgadas:

Em 2011, quando esperava apenas podemos dizer assim horas e horas limitadas de vida, observadas pela assistência médica em Natal, reporto-me aos fatos em que no meio da madrugada ao dirigir-me até o seu leito para saber se ainda estava respirando e aconteceu que disse: Você agora só vai quando o Senhor Jesus estender a sua mão e a levar de outra forma ela não iria mais.
Ora imaginemos um julgamento em que o promotor acusa querendo a pena de morte e um advogado defende que não poderia ser daquela forma, também nem imagino que tipo  de acusação poderia ser. Imagino assim;
O Promotor( aqui representado em forma de câncer):
Senhor Juiz por tudo em que permitiste ainda, o tratamento que foi feito mais sem efeito, como sempre, provo que a medicina não tem e nunca terá recursos suficientes para provar que a saúde dessa mulher seria interessante para o testemunho do seu milagre, oh nobre advogado(cristo).
O advogado responde que mesmo assim, é necessário que todos os homens tenham sempre novas chances, uma nova vida, uma nova oportunidade para está sempre na Divina Presença e fazer o melhor pela sua comunidade, testemunhar, consolar com as mesmas consolações que recebera. Continuando: Veja Senhor Juiz que as crianças pedem pela saúde dessa criatura e são muitas, param reuniões de pais e mestres para orar em prol da saúde dela, professores lamentam-se, amigos, parentes, pais, irmãos, esposo, filhas e enfim, nos cultos católicos, evangélicos, messiânicos, Templo Rosacruz, Gnósticos, assistência dos  elementais da natureza, cultos espíritas, e mais ainda, a solicitação do teu ungido nos últimos tempos como a última porta que abrirás para a humanidade, através da Igreja Mundial do Poder de Deus,o Apóstolo Valdemiro Santiago.
E o promotor ainda, não aceita, não se entrega insiste, até que a palavra de alguém que diz, no caso eu que estava presente e disse  aquelas palavras que ela somente iria quando o Senhor Jesus Cristo estendesse a sua Mão e viesse buscá-la, fui  colocado a prova. “ Mãos ensanguentadas  de Jesus, vem tocar em mim, vem tocar em mim, vem tocar em mim, vem Senhor Jesus.”
Assim, o promotor queria mais garantias, porque ao invés de um, teria a garantia de outro e se a palavra dada não fosse cumprida provocaria a tomada do todo, Seria?
Concluo,  que ficou adiada em virtudes das apresentações das provas, até que marcado uma nova data, da qual seria o dia 24/25 de dezembro, noite das comemorações natalinas,  ou seja o Nascimento de Jesus.Naquele dia em que o Senhor Jesus olharia com mais intensidde para o planeta terra.
Teria sido assim!: Que se processe assim uma nova data para a conclusão do julgamento e se cumpridas com dignidade a vida hipotecada ao  Senhor Jesus, que as mansões celestiais abram-se, não somente para ela, mais para todos eles, inclusive, as que forem determinadas em Nome do Senhor Jesus.Que assim Seja feito.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Memórias...






Os fatos mais incríveis começaram a aparecer ainda mais a partir daquele momento em que entramos na ambulância, apenas eu e ela, sentindo-me como se em um depósito fechado, até então nunca tinha entrado numa ambulância nem sequer para ver como era por dentro e qual a sensação de estar ali dentro e passou nos meus pensamentos em como foi dolorido para todas as outras pessoas que tiveram como obrigação passar por aquele tipo de situação. Mas tudo tem sua iniciação... aquilo que mais temia estava acontecendo comigo.
E as portas se fecharam por trás da gente, sabia que estava enfrentando um tipo de situação inusitada, sem experiência para o momento daquela situação.
Disse para ela: Gilza....chegou o nosso momento, temos que ser mais fortes ainda, para enfrentarmos essa situação, temos que chegar em Caicó e torcer para que sejamos atendidos no CSO-LIGA, essa data era dia 24 de dezembro de 2012.
Ela assentiu com a cabeça: que sim...
Mas algo estranho pairava no ar, não havia como negar as emoções, chorei muito naqueles momentos, com o meu rosto parecendo uma pedra sem mover nem, sequer a pestana, para não transparecer que chorava enquanto ela olhava para mim, com um olhar sereno, mas sentia tudo muito distante.
A ambulância ia de um lado para outro, balançava igual a gangorra, olhei em seguida para a janelinha tentei abri-la totalmente, mas abriu apenas uma pequena parte, mas imaginava se tivesse que sentir   enjoos, como seria, até porque não podia soltá-la em nenhum momento porque cairia da maca que nem sequer as amarras haviam para se ter segurança no percurso.

"Orei,... Senhor Nosso Deus, Pai Amado aqui começa a subida do nosso calvário, não sei como será nem tampouco o que se processará, mas o Senhor sabe todas as coisas, cuida de nós e nos daí forças, sei que vou precisar e muito, não nos abandoneis a revelia apenas da sorte, mas descei com os vossos santos anjos e ajudai-nos. Que seja feita a Tua vontade e não a nossa, falo por mim e por ela que nesse momento entrega-se apenas aos vossos desígnios. Assim por tudo vos agradeço".

Entre pequenas convulsões e outras fomos trilhando o caminho que se daria ao Monte, o calvário, pois acredito que todos esses momentos para todos aqueles que passam pela transição, um novo renascimento é sempre um calvário e que sem esses momentos sem os sofrimentos de Cristo, não serão momentos de verdadeira adoração e aceitação, ou seja, o Sim, o Eu quero, o Eu Sou Contigo, o Eu e o Pai Somos Um, a Integração no Amor Maior; O Pai em Tuas Mãos Eu entrego o Meu Espírito, O Caminho, A verdade e a Vida. A certeza que logo após o Sim, e pender sua cabeça em direção ao coração, haja o renascimento no mundo espiritual, junto com Cristo e abrigado pelos Anjos, em sons de  harpas celestiais, sinfonia do vento, na união dos quatro elementos representados da Água, do Ar, da Terra e do Fogo. “E Tu, oh criatura que se entrega ao  Éter, Sois o amor, o Quinto Elemento, o Elemental que faltava para entrar no Reino dos Céus transformando a Tua Quarta Dimensão num Salto Quântico, o Reino da Luz,  o agora inspiro Luz e não mais oxigênio. Agora o Eu Sou, não mais o Eu Sou o que Sou, mas o  Eu Sou, com Cristo.
Conversei com ela o tempo inteiro, mas apenas eu falava e ela ouvia sem expressar quaisquer movimentos de assentir ou não minhas conversas, mas apenas silêncio, entre um  convulsão pequenas e outras. Até que sentiu uma convulsão tão forte que durou, acho que vários minutos e apagou de vez, nem respiração, nem pulsação, mais nada, e tinha a certeza que tinha morrido nos meus braços, entre as minhas lágrimas e gritos do não,  por favor não, aquelas sensações que não sabemos explicar e que somente acontecem quando essas situações também acontecem, uma sensação de impotência, de entrega total também, do não mais existir também, do está tudo acabado. Morreu... disse, mas tenho que continuar e ir até Caicó para que o médico possa dar o laudo e depois retornar para Tenente Laurentino Cruz-RN. No momento desse acontecido faltavam ainda uns 40 minutos talvez para chegar em  Caicó, acho que sim não tenho condições de precisar, mas avalio esse tempo de distância.
Morta em meus braços, assim estava, pensava nas  nossas filhas, nos familiares dela, em como daria a notícia ao meu Pai que tinha naquela criatura uma singelo amor e ela por ele. Passava pela minha cabeça, tudo em poucos segundos.
O que fazer Meu Deus num momento como aquele.?
Cantei, orei, chorei, conversei em alta voz com ela até que comecei a pedir perdão,  até ´ mesmo das coisas que não conhecia ou sentia, ou que tinha deixado de fazer, ou que não tinha errado, sei lá o negócio é meio esquisito mesmo. É uma iniciação que somente aqueles que passam sentem a sensação da essência do manipular com coisas espirituais vivas e não mortas.
Estava entrando em Caicó, avistei algumas casas e disse: Gilza minha filha como isso pode nos acontecer, precisava ainda conversar com você, como será de mim sem você para cuidar de nossas filhas, por  favor eu lhe peço volte a vida, retorne em Nome do Senhor Jesus, e disse três vezes, a mesma coisa, não queria deixá-la ir embora assim, sem nem sequer um “oi, já vou fique com Deus". Quem poderá entender num momento desses as minhas atitudes...
Logo em seguida,  senti ela tomar uma inspiração entrecortada... levantou a mão esquerda e com o polegar em forma de “ta legal”, em seguida fechou o punho bem forte balançando a mão e depois espalmou a mão com o polegar voltado para o centro da palma da mão, apenas com os quatro dedos estendidos. Não falou mas,  senti, me dizer: “Estou viva ainda, estou lutando e tenha paciência comigo”.Uma alegria momentânea  tomou conta de mim...
Peguei o celular liguei para a irmã dela Helena, para que ela estivesse me esperando no Hospital, apenas reafirmando porque já tinha mantido contato com ela e aguardava apenas o  nosso percurso ser concluído.


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Memórias...




Depois daquele dia 08/12/2012, foi a Natal –RN, para fazer novos exames e estava tudo bem com os resultados mas o médico passou uma tomografia para que fosse feita, informando que tudo estava bem e somente de posse da tomografia poderia diagnóstica. Vale salientar que uma tomografia já tinha sido feita em Caicó-RN, e o médico solicitou uma outra querendo dar mais segurança aos diagnósticos. Ao mesmo tempo, recebeu exames que demonstraram uma pequena alteração nos resultados.
Numa dessas viagens de rotinas médicas sentiu-se mal e foi internada no CSO, para receber medicamentos específicos, enquanto isso  o  mesmo médico solicitou uma outra tomografia, dessa vez para a cabeça.
E as dores de cabeça foram acentuaram-se cada vez e tronando-se mais intensa. Até que numa tarde de sábado do dia 15 de dezembro de 2012, ela me pediu para tomar  um banho e depois comer algo. Levei-a ao banheiro, mas tão logo começou o banho sentiu um desmaio tão forte que se não estivesse atento perto dela teria caído ao chão, consegui levá-la até a cama, enquanto gritei para que minha filha viesse para ajudar-me, e o desespero tomou conta de todos nós porque aquela altura, nem respirava e nem dava sinal de pulsação, chamei várias vezes enquanto chegavam os vizinhos, enfermeiros da maternidade com transporte já preparados para levá-la para currais Novos, cidade pólo de Saúde da Região do Seridó, mas logo me seguida ela retornou e perguntou o que tinha havido e respondi que ela teria dormido. E respondeu que estava tudo bem, e não queria ira a nenhum lugar,  porque já tinha feito  consultas e que a próxima consulta estava marcada com o médico Quimioterapeuta que atendia em Caicó.
O que me deixou mais preocupado ainda foi que naquele dia, logo após o acontecido os seus familiares, duas irmãs e um irmão que moram em Caicó, vieram visitá-la de surpresa e fiquei por deveras preocupado. Tratava-se de uma despedida!
Na terça-feira da semana seguinte, 18 de dezembro de 2012, fomos a Caicó para que fosse feita a consulta que estava previamente marcada. E tão logo feito a consulta os resultados satisfatórios em que o médico de posse dos exames, falou que tudo estava bem e não passava de uma enxaqueca em virtude do calor e viagens para Natal, distante 250 km, mas que já tinha feito os procedimentos necessários para solicitação de novos exames. Chegou a dizer que ela poderia comemorar o Natal em família, tomar um copo de vinho, porque não conhecia fatores em que o problema teria retornado e ainda mais, afetado a cabeça em virtude de que o maldito problema era de origem uterina.(Dados fornecidos por ela e pela irmã Helena que esteve presente à consulta).
Fiquei um pouco mais tranqüilo, mas sempre com uma desconfiança porque as palavras dela com relação ao assunto era sempre de tristeza. Viajamos a tarde para Tenente Laurentino  e como sempre, cantamos juntos o tempo inteiro, conversamos como sempre, uma amizade além de todos os outros momentos, não nego as vezes vinha o pensamento de está participando de uma despedida, até porquê, ao contrário das outras situações, quando orava em comunhão com Deus, na minha visão vinha como se estivesse vendo-a dentro do caixão. Balançava a cabeça e dizia em voz alta, não, não, isso não pode está acontecendo. Meu Deus!
Transcorrido os dias depois da terça-feira,  as dores acentuando-se.
No sábado me pediu para ir lá para o sítio porque queria está num local bem mais tranqüilo, queria deitar na área da casa de Chiquinha, aquela mesma que a acompanhou em 2011 quando aconteceu o milagre que o Senhor Jesus promoveu estourando a barriga dela e fazendo retirar todas as coisas indesejáveis a saúde dela.
Fomos e durante o percurso num local denominado alto da lanchinha ela me perguntou: Chaguinha e o meu pé de Groselha? ( essa planta teria sido levado por ela, trazido de Gargalheiras para que plantasse porque ela gostava muito do fruto Groselha, dizia que lembrava-se da gravidez de Clara,quando sentiu um desejo enorme durante a madrugada e queria a todo custo chupar groselha).
Respondi que aquelas alturas, sem que ninguém estivesse cuidando do sítio, mediante uma seca da qual estamos atravessando, não acreditaria que tivesse  sobrevivido. Também não falou nada  mais.sobre o assunto da planta.
Durante o dia de sábado sentiu muitas dores de cabeça, mas disse que tinha ficado mais satisfeita porque sentiu que diminuíra e por sinal, dormiu bem a noite inteira, quer dizer pelo menos sob os meus olhares porque não conseguia dormir tranqüilo e a observava o tempo inteiro, mas se não dormiu bem pelo demonstrou calma e serena.
No domingo, acordou disse que queira voltar para o sítio e passar o dia por lá, pois estava fazendo muito calor na cidade. Pediu, ainda,  para levá-la para cortar o cabelo, fazer as unhas das mãos e dos pés, e como sempre atendi, pois ela estava tão bem naquele momento. E fez o que queria...   agora durante os trabalhos sentiu dores.
Retornamos ao Sítio de Chiquinha, mas durante o dia acentuou-se de forma tão forte que não me achei em condições de tirá-la e levá-la para a cidade naquele calor escaldante daqueles dias.
A noite fomos para a cidade e já passei direto para a Maternidade e foi atendida recebendo aquilo de praxe e como sempre, soro, etc.
Aquela noite estava preparada para enfrentarmos um sofrimento tão grande, primeiro dela e todos nós que estávamos cuidando, eu e minha filha e os enfermeiros que faziam parte do plantão que aquelas alturas  acredito que nem sequer sabiam o que fazer de tão grade que era a situação. Confessor que tive medo de levá-la para outra cidade, porque primeiro não tinha médicos para atendê-la, nem em Florânia e Currais Novos, nem se fala em virtude do abandono que ora são divulgados pela imprensa sob a Saúde Pública no Brasil.
Entre uma convulsão e outra, cantávamos, orávamos junto com ela e ela com uma paz muito grande mesmo que com todos aqueles sofrimentos. Num determinado momento, disse para uma Senhora chamada Terezinha – professora, que estava cuidando da mãe com problemas de saúde também, que achava que ela não conseguiria. Minha filha cantou todas as músicas da igreja que sabia, a pedido dela e cantava junto com Maria Clara, tudo isso entre uma convulsão de outra.
Esperava pelo menos o dia amanhecer para sabermos o que poderia ser feito. Até que tomei uma decisão que tão logo amanhecesse o dia, levaria para Caicó, para o CSO se lá tivesse em virtude da existência da Liga naquela cidade.
Indaguei: Gilza, vamos para Caicó, lá tem o CSO, será?
Ela respondeu: Vamos...
Mas logo desconfiei da resposta dela porque a conhecia muito bem e somente daria aquela resposta de imediato quando tinha algo mais forte que precisava atingir. Ora,  Caicó é a sua terra natal e localização de todos os seus familiares, mas não coloquei outras evidências, faria qualquer coisa naqueles momentos para  ajudá-la.
E ao amanhecer o dia, tomamos a ambulância e nos dirigimos para Caicó.







quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Memórias...



                                Dia 08 de dezembro de 2012.



Dezembro/2012

É necessário que seja citado que todos os objetivos estabelecidos naquela época em 2011, que ela gostaria muito de voltar à sala de aula; brincar com as crianças; fazer piqueniques, fazer a festa das mães; festa junina; participar da festa de São Francisco; fazer a festa de Nossa Senhora da Conceição da comunidade de Cinco Cantos e a primeira Comunhão de Maria Cecília.Em tudo se concretizou durante o ano de 2012.
Com o transcorrer do ano de 2012, em muitas vezes tive que mostrar os diferentes caminhos que podíamos seguir, estava vendo os rumos serem tomados de forma diferentes daquilo em que tinha feito compromisso com Deus para a liberação do milagre que a tinha mantido ativa, no plano terreno. Por diversas vezes, ao levar minha filha Maria Clara para Florânia, pedi por diversas vezes para que a mesma mostrasse a Mãe o que Deus esperava de nós, para evitar certos transtornos na vida, mesmo que todos os exames estivessem satisfatórios e a liberassem para o trabalho. Mas é como a própria história registra que a Lei Cósmica se cumpre.
Não parava de trabalhar... fez de tudo, voltou a sala de aula, planejou, brincou com as crianças, fez piqueniques, festa das mães, festa juninas, organizou junto com o todos a festa de Nossa Senhora da Conceição e dentro da Festa o grande dia esperado tanto por ela, que a primeira comunhão de Maria Cecília, que tinha deixado de ter sido feito em 2011 em virtude dos problemas de Saúde e tratamentos.
O fato é que posso imaginar e me vem por inspiração que:
Quando os registros em abril de 2011 que se tratava de últimos momentos e houveram praticamente as despedidas, de acordo com os relatos  antes referidos, entendi que naqueles momentos travaram-se uma batalha como se fosse um tribunal, tendo como advogado o Senhor Jesus e a acusação a representação do maldito Câncer que teimava em destruir uma vida de tantas alegrias e de lutas.
Aconteceu que num determinado horário durante a madrugada, escutei algo diferente em sua respiração e me dirigi ao leito onde ela estava, coloquei o dorso da mão nos seus narizes para sentir se ainda estava respirando. Nesse momento abriu os olhos e me disse: o que há meu filho...
Enchi-me de um acerta atitude, lembrando das palavras que diz: que o reino dos céus deve-se tomar com violência na palavra, com determinação e assim foi feito dizendo a partir daquele momento era somente iria ao mundo espiritual quando o Senhor Jesus viesse e  estendesse a mão e a levasse.
Ora para qualquer acusador,  um testemunho  ou melhor,  um desafio dessa natureza,  faria com que além do réu poderia acusar pela palavra dada aquele também que a  empenhou também a sua palavra de fé.
O Senhor Jesus precisou de Simão para ajudá-lo a carregar a Cruz  até ao calvário e se ele negasse a ajuda de Simão que lição teria deixado para todos nós que até o Senhor Jesus aceitou a ajuda humildemente para carregar sua cruz.
Exames foram feitos, registros normais e outros eram solicitados, até que surgiu  uma certa dor de cabeça que não traria muitas preocupações em virtude da causa do calor muito forte que estava fazendo na região e em decorrência de viagem a Natal que par qualquer pessoa ocasiona dores de cabeça e enjôos.
E as evidências começaram a mostrar que algo que estava prestes a acontecer, quando no dia da primeira comunhão de Maria Cecília durante a Missa certas coisas anormais começaram a aparecer, janelas da Igreja  batiam sem que houvesse ventania para o fato, e todos os participantes dentro da Igreja choravam sem motivo aparente a não ser as emoções naturais promovida por aquele momento sublime. E ela sentindo muito enjoada e sentindo dor de cabeça que logo passou como se nada tivesse acontecendo.
Alguém naquele momento me procurou e me perguntou o que estava acontecendo dentro da Igreja, porque era de uma emoção como se fosse de uma despedida, enfim todos choravam e respondi: que observava que algo estava acontecendo, mas embora suspeitasse como poderia registrar ou expressar qualquer opinião sobre o assunto.
Mas algo estava prestes a acontecer. Aquela data foi no dia 08 de dezembro de 2012.